sexta-feira, fevereiro 08, 2008

Balaios


É dia
teus olhares, o ouro
nos colares, meu couro
lendas dos moços que sopram os coqueirais.

Em arrobas, outras moedas
sinceridades quietas,
tantas cinzas na gema-festa
flora tal se fevereiro...
teu anel, sois fiscal de terreiros.

É dia...
dos riso incautos, dos deleites
dos leitos cruzados
das feira, das fontes
das bolsas, dos rios sob as pontes
dos mil-réis insanos
dos pés dependentes, dos decanos
quem coroa a razão alimentícia
cooperativa, sexual ou mística
da lúdica, vaidade pública, milícia
das roda-saias, na renda bruta mensal...
delícia!

Balaios
erhi Araújo - REVÔO, coletânia de Versos & textos, Art-Contemp- Salvador . Bahia 1994

4 comentários:

Tiaia disse...

PARABÉNS pelo blog, GRATA pelo convite!
Bom saber que nos 'veremos' sempre por aqui... assim desejo.

Beijo, sorte!

Ivia

Hamilton disse...

Grande Chefe... , belíssimos poemas...
Um forte abraço e Sarava!

bayano disse...

Erhi

de que modo refletir sôbre nossas emoões, verbo auxiliar das relações humanas, sem se buscar na poesia.
Sucesso!

Roque disse...

Olha!

A poética criada pelos negros e que aqui voce se inclui com a consequ~encia artistica, nem requer domíno maior que já tens, basta-lhe a pele.

Vá em frente!